Geraldo Magela de Oliveira

Contato

Uma MÍDIA tendenciosa? - Crônicas do Oliver

Crônicas do Oliver

Uma MÍDIA tendenciosa?

Olá,

Estava eu a conversar com minha esposa e na televisão passou uma matéria sobre uma jovem que já ha alguns anos em conluio com o namorado tramaram e mataram seus pais. Foi um caso muito falado na época. Porém, esta mesma jovem já a algum vem recebendo indultos para saidinhas para o dia das mães, pais e alguns outros feriados, beneficiando-se para sair temporariamente da prisão. Desde que obedeça alguns pré-requisitos e se comporte bem durante a ausência da prisão. Ora, se a lei de execuções penais assim o permite quem somos nós para contestar. Mas, infelizmente o que me deixou muito chateado é a massificação deste acontecimento. Quantos presos saíram beneficiados por este indulto? Quantos crimes poderão ocorrer através da soltura de alguns deles? É sabido que nestes períodos a criminalidade tende a aumentar. Esta jovem, já está pagando um preço pelo seu crime, e encontra-se presa há mais de dez anos. Porém, este caso não sai da mídia e é essa mesma mídia que não fala de outros crimes. Já pararam para pensar em quantos crimes não são solucionados? Infelizmente só noticiam aquilo que vende, o caso desta jovem virou uma mina de dinheiro à custa de uma sociedade pérfida e suja que adora ver o sangue de outros sendo mostrado na televisão. Uma sociedade que valoriza o criminoso ao invés de olhar a vítima. Onde o charme do bandido é mais importante do que a família de alguém que é morto e a mesma passa por sentir necessidades financeiras com a perda do sustentador da casa. Uma sociedade injusta que sustenta esta indústria pelo simples prazer de estar informada da dor alheia. Deveríamos deixar tudo isto no passado, deixar que os criminosos cumpram suas penas e sejam trabalhados em sua recuperação moral e espiritual, para que ao sair no tempo do cumprimento de suas penas sejam pessoas de bem. Não podemos fazer com que as famílias dos que sofreram com a perda de seus entes, lembrem-se sempre dos casos porque a mídia sempre está a noticiar o que acontece com os presos. O crime não deve ser glamourizado, quem erra e mata nem sempre é bandido. Todos estão sujeitos a cometer estes mesmos erros. Para isso, basta que lhes saltem a tampa. Todos merecem uma segunda chance na vida. Mas, deixem que ao seu tempo isto aconteça. Espero que a sociedade em que vivemos se torne algo mais justo e coerente naquilo que professa, que sejamos menos carnais e que tenhamos o temor de D'us em nossas vidas e procuremos saber somente daquilo que enriquece nossa moral e nosso ser. Que nossa experiência com D'us nos transforme diariamente, fazendo com que sejamos firmes e justos com todos que nos rodeiam e que saibamos o nosso lugar neste mundo. Que sejamos agentes de D'us ministradores da Palavra verdadeira e plena.

No amor de D'us e certo de nossa mudança.