Geraldo Magela de Oliveira

Contato

Palavras que CURAM - Crônicas do Oliver

Crônicas do Oliver

Palavras que CURAM

Olá,

Fui inundado por estes dias de uma soturnidade imensa. Não sei a que se deve a mesma, o que sei é que passei por momentos de angústia, dor, tristeza e também raiva. Apesar de saber que a raiva é comparada a idolatria pelos sábios, não posso me furtar e ser hipócrita ao ponto de negar que a tenha sentido. Mas, raiva de que? Eu não sabia a origem de meu sentimento e, no entanto estava com raiva. A raiva era de mim mesmo por não identificar o que estava me fazendo mal. Chorei, dormi, gritei, sorri e dei gargalhadas de medo por não conseguir me livrar daquilo que estava me fazendo tanto mal. Infelizmente essa dor lancinante que atacava o meu coração e mente, apesar de não ter explicação teve a força de me fazer sofrer. Sofri ao ponto de querer me isolar do contato com meus semelhantes para ver se assim eu conseguia melhorar. Orei e pedi a D'us para me mostrar o motivo e principalmente me libertar daquilo que me consumia. A resposta não veio de imediato. Porém, pude aprender muito nestes dias de sofrimento. Aprendi um pouco mais sobre em quem confiar. Fui instruído na arte da dissimulação ao ver alguns que se diziam meus amigos se afastarem ao me ver triste. E me doutorei na ciência da paciência, uma vez que ela foi testada de formas nunca antes vistas por mim. O resultado após alguns dias de introspecção não foi a descoberta do que me afligia, mas ver e sentir o Amor de D'us em minha vida. Recebi mensagens de pessoas que há muito não falava mensagens de desconhecidos que apesar de não ver o meu sofrimento, sentiram empatia por mim e transformaram meus dias turvos em dias ensolarados com a pureza das mensagens enviadas. Pude então perceber mais uma vez que de onde você menos espera vem a alegria para o seu dia e que daqueles que você tem em alta conta, somente pode esperar o desprezo e ingratidão. Ingratidão é a palavra chave para o desconforto que senti. Pois fui descobrir mais tarde e é melhor ter descoberto tarde do que nunca a traição e ingratidão de algumas pessoas já ajudadas. Não que eu espere recompensa ou gratidão de quem foi ajudado por mim. Mas, a dor da ingratidão e da traição é muito grande para ser escondida por quem a sente. Ao me ser revelado tudo isso, aquela tristeza foi passando aos poucos, a dor foi embora, a angústia me deixou e a raiva. Ah a raiva. Esta se transformou em pena daqueles que me traíram. Pena sim. Porque embora não saibam e oro para que descubram um dia, a alegria que me veio depois de sentir o amor de estranhos foi tão grande que um sorriso largo e gargalhadas eram pouco para expressar o que eu sentia. O sentimento de ser amado é algo único.

Então, espero que este sentimento inunde os vossos corações e mentes a tal ponto de transformar vossas vidas em algo sobrenatural.

Assim como é sobrenatural o Amor de D'us por nós, que nossos dias sejam inundados por Ele.