Geraldo Magela de Oliveira

Contato

O Sadismo inerente em nós - Crônicas do Oliver

Crônicas do Oliver

O Sadismo inerente em nós

Olá,

Ao ler o tema desta reflexão, muitas pessoas vão associar ao Marquês de Sade, e que diz respeito a uma perversão sexual, que denota prazer no sofrimento ou humilhação de outrem. Isso porque a nossa perversa mente tende a ver o pior antes de tudo acontecer. É justamente o que tem acontecido em nosso meio. As pessoas que se dizem cristãs, estão cada vez mais propensas a ter prazer com a dor alheia. Digo isso porque hoje o pecado se tornou muito mais grave do que era antes. Independente de como você levou sua vida, seja de forma impecável ou nem tanto, hoje o seu pecado já não tem perdão. Se você levou uma vida reta e em prol do seu irmão durante muitos anos, você não tem o direito de errar. O que está acontecendo hoje na igreja é bem assim. A igreja que deveria cuidar e receber de braços abertos o pecador, é a primeira a execrar em púbico e os irmãos que muitas vezes foram ajudados por aquele que errou, sentem prazer na execração pública, seja por via oral ou nas redes sociais. Redes estas, que se transformaram em tribunais da inquisição. Onde todos que erram são bruxos e não tem outro direito senão a morte. Se a pessoa morresse de fato era bom. O problema é a morte que lhes causam e as pessoas não podem andar na rua sem serem apontadas. Nas redes sociais, são alvos de ataque por quem muitas das vezes até recebeu auxilio financeiro daquele a quem ela agora ataca e mata. E infelizmente, este é o meio em que vivemos. Um meio de santarrões e anjos na terra que se julgam melhores que todos. Um meio onde a Palavra de D'us foi trocada pela imundícia do pensamento torpe. Onde o perdão não tem mais espaço. Onde os corações estão negros de tanta podridão e ressentimento. Almas ressequidas pelo simples prazer de machucar alguém. É amigos, o mundo cristão está se transformando e estou muito triste por isso. Porém a maior tristeza com certeza é a que D'us deve estar sentindo. Porque apesar D’Ele haver chamado um povo para ser diferente na terra e levasse sua Palavra a todos que dela necessitam. Este mesmo povo se transformou em juízes e carrascos daqueles que pecam e merecem ser amados.

No prazer da justiça com a qual O Eterno Nosso D’us me julga.