Geraldo Magela de Oliveira

Contato

O MEDO - Crônicas do Oliver

Crônicas do Oliver

O MEDO

Olá,

Estava a fazer um inventário de memórias e lembrei-me de algo lindo. Lembrei-me de minha infância e por morar em uma região com poucas casas, era um lugar semi-deserto com muitas árvores e um céu lindo e repleto de estrelas. Mas, por ter muitas árvores, claro que havia pássaros e a noite se ouvia um canto diferente. Numa destas noites apareceu perto de nossa casa uma coruja. Ela com seu pio diferente e eu por ainda não conhecer aquele pio, nos tornamos inimigos por aquela noite. Sim, inimigos por causa do medo que fiquei ao ouvi-la. Tremia de forma incessante e quase sem voz consegui chamar minha mãe que com todo carinho me deu a conhecer que era uma coruja e que, portanto não havia razão para aquele medo. Demorei um bom tempo para fazer as pazes com aquela coruja, pois não consegui dormir com aquela situação. Porém, como de tudo deve se tirar uma lição de aprendizado, naquela noite aprendi a amar e a respeitar ainda mais a minha mãe. Pois o carinho e a forma com que me acalmou me marcaram por toda a vida. Isso me fez lembrar que apesar de termos medos, alguns com razão e outros sem, devemos confiar em alguém para nos acalmar e nos encorajar a seguir em frente seja qual for a situação. Devemos ter em consideração que todos nós temos um amigo em quem confiamos e que está disposto a se sacrificar para que nossos medos sejam de nós retirados. Não importa se os seus medos são de perder o emprego, de ficar doente, de morrer, de perder alguém querido e de sofrer. O Senhor é o nosso melhor amigo e está pronto a retirar de nós todo o medo. Levante-se agora e tenha coragem de dizer a Ele que N'Ele confia e que somente D'Ele é sua vida. Tenha coragem de dizer ao mundo que sua vida é transformada a partir deste momento. Pois agora entregastes todos os seus medos nas mãos do Senhor e que de hoje em diante Ele é quem governará sua vida. Tenha certeza de que sua vida não será mais a mesma, pois o medo de perder não fará mais parte de ti.

Porque com O Eterno não tenho mais medo.