Geraldo Magela de Oliveira

Contato

Estou aprendendo a AMAR - Crônicas do Oliver

Crônicas do Oliver

Estou aprendendo a AMAR

Olá

O Dia dos Namorados se passou e com ele todas as expectativas do mercado para a compra dos presentes, restaurantes para as reservas de mesas e também os motéis que neste período em questão teriam o seu faturamento elevado. Alguns casais se programaram para o grande dia, consultaram seus extratos de conta e cartão de crédito para ver o limite de gastos para presentear seus namorados (as) e muitos se mostraram em suas redes sociais dizendo que estavam na pista. Ou seja, Cupido, Afrodite, Baco, Juno, Pam e até mesmo Diana estavam em festa nos seus salões se levarmos em conta de que este dia é derivado de uma Festa da Roma pagã chamada Lupercália, onde a fertilidade e a natureza eram celebradas através de seus deuses. O cenário propício ao "celebrar o amor" estava devidamente montado uma vez que o clima frio estaria a contribuir para este aconchego. Mas, tudo isso não aconteceu da maneira esperada. O motivo? Estamos em tempo de Pandemia e Isolamento Social, durante os quais os restaurantes não podem abrir suas portas, restaurantes não podem receber público e os motéis, ah os motéis estes foram uns dos mais afetados. Porém, será que tudo isso pôde tirar a "magia" do Dia dos Namorados onde o amor carnal é celebrado? Sim. O amor carnal pode deixou de ser celebrado e no lugar dele abriu espaço para um Amor muito maior. O Amor a D'us e O Amor de D'us. Em Dt. 6:5 está escrito: "E amarás O Eterno, teu Deus, com todo o teu coração...". Ou seja, em primeiro lugar, somos ordenados a amar a D'us, amar o próximo e todos ao nosso redor. Então, se o amor é espontâneo, incompreensível Podemos aprender a amar? Em Lev. 19:18 diz~se "E amarás ao teu próximo como a ti mesmo”

Pudemos ver que muitos deixaram de sair com seus amados e fizeram noites calorosas nos lares. Casais que sairiam sós, fizeram um dia em família. A fraternidade e a caridade foram despertadas em muitos e assim pudemos sentir o calor do Amor nas praças, debaixo dos viadutos, nos becos e nas ruas. Toneladas de alimentos foram distribuídas assim como roupas e cobertores. O melhor é que pudemos ver a transformação das pessoas em algo mais humano. Ou seja, além de amar a mim mesmo consegui enxergar que devo amar alguém da mesma maneira. Ou seja, devo amar e agir para alguém com respeito e doação. Consigo amar? Quando nascemos nossos pais tema a obrigação de nos alimentar, cuidar, ensinar e respeitar. Estes são os primeiros sinais de amor por nós mesmo sabendo que monopolizaremos a mães, tiraremos o sono deles e os irritaremos com nossas birras. O amor é gratuito. E no decorrer dos anos apesar de toda a dificuldade da criação dos filhos, este amor nunca diminui ou se extingue, só cresce e se intensifica.

Este amor é natural ao contrário do amor que nasce através de uma atração como é o caso dos namorados. Em um relacionamento amoroso, o normal é ter satisfação em agradar nosso (a) amado (a), presentear, buscar atender as suas necessidades, sair de nossa zona de conforto para vê-lo (a) mais feliz. É salutar nos doarmos de forma intensa, cultivando evoluindo sempre esta relação. Da mesma forma o amor de uma amizade, na qual investimos nosso tempo e interesse e para receber de volta atenção, alegria e conforto de saber que temos uma amizade verdadeira a qual dedicamos. Erich Fromm escreveu: “O primeiro passo é tornar-se consciente de que o amor é uma arte, assim como a vida é uma arte. Se queremos aprender a amar, devemos proceder da mesma forma como se fôssemos aprender qualquer outra arte, como a música, pintura, carpintaria ou a medicina e engenharia.” .

Ou seja, para aprender a amar, é preciso que tenhamos a consciência de que o amor é necessário e que depende de esforço de cada uma das partes, deve ser natural, puro e gratuito. No Cântico dos Cânticos que provavelmente foi escrito pelo Rei Salomão ele descreve a relação de amor entre Deus e o o seu povo usando como metáfora a relação de amor entre um homem e uma mulher, 6:3 “eu sou para o meu amado e meu amado é para mim". Se D'us nos ama, temos que o amar na mesma intensidade.

Nenhum de nós nasce sabendo amar. O amor ao próximo e a D'us é aprendido ao longo da caminhada assim como o amor fraternal e o carnal também se dão com a convivência. Então, se aprendemos a amar nossos pais, irmãos, amigos e cônjuges, porque não aprendemos a amar a D'us com a mesma facilidade? O amor é o sentimento mais poderoso, porque é capaz de transformar o mundo. Somos chamados por Deus a amar, a dar de nós aos nossos semelhantes. O nosso principal objetivo na vida deve ser justamente amar, dar, fazer o bem, todos os dias, independente de a quem seja. O verdadeiro significado de amar a Deus é amar a todos sem distinção.

Não se preocupe se o Dia dos Namorados não vai ser comemorado da forma que você pretendia. Transforme este dia em algo novo e olhe para D'us com outros olhos. Ele está esperando que olhes para Ele e diga "Eis-me aqui, usa-me a mim". Para quê? Para amar cada dia mais a criação D'Ele.

Viva intensamente o amor, tenho certeza de que com vontade podemos aprender a amar cada dia mais.

Na certeza de que somente sendo capaz de amar serei feliz.

Sigo em frente dizendo “eis-me aqui senhor, usa-me a mim para amar o teu povo que está sedento de amor”.