Geraldo Magela de Oliveira

Contato

A Costureira e seus filhos - Crônicas do Oliver

Crônicas do Oliver

A Costureira e seus filhos

Olá,

Existem algumas pessoas que marcam nossa história de uma maneira única. Podem ser amigos de infância, namoradas, vizinhos e até mesmo alguns desafetos da adolescência. Porém quero hoje falar de uma costureira. Uma mulher simples e muito batalhadora que em um instante viu tudo o que havia planejado para sua vida ruir por causa de uma separação. Esta mulher ficou com a guarda de seis crianças, tendo o mais velho somente dez anos, e sem o amparo de seu marido, alcoólatra, que não cumpria com suas obrigações paternais, negando aos filhos e à ex-esposa o sustento diário que lhes era devido. Chegaram até ela, naquela época, várias propostas de pessoas amigas e familiares que gostariam de levar alguns dos seus filhos, a fim de que ela ficasse com um menor número, podendo cuidar melhor daqueles que ficassem. Pois, esta mulher guerreira, valente e trabalhadora escolheu ficar com todos, não importasse o que iria acontecer. Assim, com a ajuda do pai da costureira, ela se mudou do bairro e recomeçou sua vida cuidando dos filhos. Filhos estes que tiveram que começar a trabalhar em sub-empregos muito cedo para ajudar no sustento da casa e também com as custas escolares, que nunca foram baratas. Alguns poucos anos depois, esta mesma costureira voltou para o bairro de origem e, com muita luta, criou seus filhos. Apesar de viverem em um bom bairro, também ali existiam aqueles maus elementos que, mesmo tentando, não conseguiram levar aqueles filhos para um caminho errado. O motivo? A capacidade daquela costureira de ser verdadeiramente mãe. Os anos passaram e aquela mulher guerreira continuou com seu trabalho de uma forma única. Casou filhas e filhos, veio a ser avó e bisavó. Ah, os filhos dela? Todos se saíram muito bem. Apesar das oportunidades para seguirem caminhos errados, nenhum se desviou daquilo que a mão lhes havia ensinado. Cresceram e hoje são referências em seus meios. Uma lição eu tiro disso: Não importa o quão dura a vida e as pessoas possam tentar ser com você. O que importa verdadeiramente são suas crenças, seu caráter, sua capacidade de resiliência e, principalmente, o seu amor pela sua vida e pelos outros. O Amor é o verdadeiro agente transformador das pessoas. Foi o Amor por D’us, pelos filhos e por si mesma que transformou aquela simples costureira em uma mulher verdadeiramente honrada por seus amigos, familiares e, principalmente, por seus filhos. Não desista nunca diante de qualquer obstáculo que se colocar à sua frente. Resista, lute e fique sempre firme em suas convicções. O verdadeiro vencedor é aquele que não teme a luta.

Na certeza de que este exemplo deve ser seguido, louvo a D’us pela vida desta linda costureira.

Minha adorada Mamãe.