Geraldo Magela de Oliveira

Contato

A Paciência que nos falta - Crônicas do Oliver

Crônicas do Oliver

A Paciência que nos falta

Olá,

Já reparou o quanto as pessoas andam impacientes? Creio eu que com o passar dos anos, a nossa tendência é de ficar cada vez menos tolerantes, no que diz respeito ao comportamento do ser humano. Digo isso porque tenho notado o quanto é difícil conviver com pequenos e repetidos erros de alguns que nos rodeiam. Você dá o ensinamento, a pessoa erra. Você corrige e ensina novamente, a pessoa torna a errar. E essa situação torna-se um circulo vicioso, porque nem sempre as pessoas querem fazer o correto diante dos homens e muito menos diante de D'us. E sem falar que todos os dias somos bombardeados por atitudes de pessoas que confiamos pessoas que admiramos e pessoas que em tese seriam exemplo para nossas vidas. Queremos ter tudo no menor espaço de tempo e com o menor esforço possível. O que neste caso leva muitos a cometerem erros que podem prejudicar a si mesmos e infelizmente àqueles que os rodeiam. Mas, porque isto tudo tem acontecido? O que faremos para mudar isto dentro de nós? Nossas vidas são como um livro precisa ser bem escrito para que o leitor sinta vontade de continuar lendo e a espera de um final que o cative. Precisamos de um bom roteiro e que seja bem estruturado no que diz respeito aos capítulos. Quando nascemos, não temos a mínima paciência, pois choramos incansavelmente na busca de saciar a nossa fome, ao crescermos um pouco queremos andar e não basta os primeiros passos, já queremos correr. Ao entrarmos para a escola já queremos saber ler e escrever e as brincadeiras se tornam cada dia mais chatas, pois sempre queremos algo novo. O que é bom hoje, não prende nossa atenção no dia de amanhã. Quando chegamos à adolescência, já queremos namorar e ir mais além em alguns casos dos mais afoitos. E na idade adulta começamos a pedir sempre mais em nossos trabalhos. O contentamento e a saciedade nunca chegam. E vamos deixando a paciência cada vez mais distante de nosso ser. e assim o circulo vai seguindo em seu movimento uniforme, não deixando brechas para sua mudança. Porém, podemos fazer algo sim. Devemos deixar o governo das nossas vidas nas mãos de quem sabe bem como trabalha-las. Um escritor que tem em seu curriculum o maior best-seller de todos os tempos. O Livro da Vida. No qual Ele escreveu com uma tinta que nunca se apagará, cada um de nossos nomes no momento em que deixamos para Ele o cuidado e zelo do nosso ser. É tempo de deixarmos toda a nossa cobiça para trás e verdadeiramente fazer algo substancial com nossas vidas. Tempo de acreditarmos que podemos fazer a diferença e por nossas mãos no barro para moldarmos um futuro em que nossos filhos cresçam tendo orgulho de que nossas vidas não foram em vão e o exercício da fraternidade e paciência nos transformou em pessoas dignas de ser chamados servos de D'us.

Por um mundo digno e repleto do gozo Do Senhor.